Por Catiana de Medeiros
Da Página do MST


Cerca de 100 famílias ligadas ao MST retomaram o acampamento na fazenda Nossa Senhora Aparecida, em Hulha Negra, na região da Campanha do Rio Grande do Sul, no início da manhã desta segunda-feira (7).


A área, que possui aproximadamente 300 hectares, pertencia à União e foi repassada para o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra/RS) no último mês de novembro, por meio de portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU), para o assentamento de famílias acampadas no estado.


De acordo com Ildo Pereira, da coordenação estadual do MST, as famílias são oriundas dos municípios de Candiota e Santana do Livramento.


“Nossa ação representa a retomada da luta pela terra na Campanha e o enfrentamento de um conservadorismo muito grande que existe na região em torno das nossas bandeiras. Agora, já queremos começar a produção de alimentos saudáveis”, explica.


Na primeira quinzena de novembro integrantes do MST já haviam montado acampamento no local, mas deixaram a área após ruralistas e fazendeiros ameaçarem as famílias com armamentos.