petrobras_16.jpg

 

Por Catiana de Medeiros
Da Página do MST

 

A Plataforma Operária e Camponesa para Energia do Rio Grande do Sul realiza, nesta quinta-feira (12), em Porto Alegre, o Seminário de Formação Estadual: Educação Energia e Indústria no Brasil.


O objetivo é debater o tema da energia e definir estratégias para impulsionar a defesa da Petrobras e do petróleo brasileiro, além de mudanças no modelo elétrico com o uso de recursos destes setores para a Educação e o desenvolvimento industrial, a fim de aumentar a geração de empregos e distribuição de renda no país.


Plenárias regionais


Para discutir sobre o tema, a Plataforma gaúcha está realizando plenárias regionais. Até o momento, elas ocorreram nas cidades de Porto Alegre, Passo Fundo, Rio Grande, Pelotas, Ijuí, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul, Vacaria, Santa Maria e Novo Hamburgo.


Outros municípios serão contemplados com o debate. De acordo com o dirigente nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Marco Antônio Trierveiler, entre os próximos a receber as plenárias estão Palmeira das Missões e Tenente Portela, no Norte do RS.


Plataforma Operária e Camponesa para Energia


A Plataforma Operária e Camponesa para Energia foi criada em 2010, a partir de uma articulação entre os trabalhadores e trabalhadoras eletricitários, petroleiros, engenheiros, atingidos por barragens e agricultores.


O propósito é propiciar espaços de diálogo, articulação e lutas para avançar na construção de um projeto popular energético para o Brasil, em defesa da soberania energética e das empresas estatais do setor elétrico e petrolífero, e cobrar do governo federal medidas para romper com o atual modelo de energia, baseado na privatização e mercantilização.


Integram a Plataforma gaúcha movimentos populares, sindicais e organizações sociais, tais como Federação Única dos Petroleiros (FUP), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Movimento das Trabalhadoras e Trabalhadores por Direito (MTD), Levante Popular da Juventude (LPJ), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Federação dos Trabalhadores Metalúrgicos (FTM), Via Campesina, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Cpers-Sindicato, entre outros.


Também nesta quinta-feira, a Plataforma gaúcha movimentos populares, sindicais e organizações sociais, realiza pelas ruas da cidade, uma caminhada em apoio à greve dos petroleiros, contra a política econômica do ajuste fiscal e pela saída de Eduardo Cunha da presidência da Câmara dos Deputados. A mobilização faz parte da programação do Seminário de Formação Estadual.