distibuicao_interna.JPG

 

Da Página do MST 


Cerca de 500 Sem Terra fecharam, na manha desta segunda-feira (28), a BR 101, na altura de Caaporã, no litoral sul da Paraíba. 


A ação serviu para denunciar as ações de despejo contra acampamentos da região. Na ocasião, os Sem Terra também distribuíram alimentos aos passantes. 


Paulo Sérgio Alves, da direção estadual do MST, explica que só essa semana estão marcados quatro ações de reintegração de posse no estado. 


“Até sexta-feira quatro dos nossos acampamentos correm o risco de serem desapropriados. Um deles é o acampamento Ouro Verde, que está ocupado há mais de 13 anos por famílias Sem Terra", afirma.


Ao longo destes anos, as famílias do Acampamento Ouro Verde, um dos que estão ameaçados de despejo, iniciaram uma vasta produção alimentos na área, considerado um dos mais produtivos da região. 


“São 75 hectares de terra plantada, totalizando mais de 6,6 toneladas de alimentos entre frutas, legumes e verduras. O nosso governo precisa entender que caso essas reintegrações aconteçam, serão mais de 600 famílias que serão jogadas na rua. O nosso protesto aqui é para mostrar que terras antes improdutivas, agora tiraram famílias inteiras das ruas e são produtivas”, afirma Alves. 


As ações de despejo são para os acampamentos Ricardo Brindeiro, Wanderley Caixe, Mangueiral e Ouro Verde. No período da tarde uma comissão do MST se reunirá com representantes da vara agrária do Estado, do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e com o secretário de direitos humanos do estado da Paraíba.