belem.jpg
Foto: Jean Brito


Da Página do MST


Pela primeira vez, a cidade de Belém e a Amazônia recebem o 9° Congresso Brasileiro de Agroecologia (CBA), que reunirá mais de 3 mil pessoas no Hangar Centro de Convenções da Amazônia, entre os dias 28 de setembro a 1° de outubro. 


A atividade congrega num só espaço produtores, artesãos, discussões acadêmicas, movimentos sociais, ativistas, feiras, visitas técnicas e eventos culturais, apresentando à cidade não apenas uma atividade produtiva e o consumo de produtos mais saudáveis, mas um modo de vida que consagra o trabalho, a produção, as pessoas e o meio ambiente.


O tema do CBA deste ano será “Diversidade e Soberania na Construção do Bem Viver", assunto que dialoga com o atual contexto da Amazônia, já que a região concentra uma diversidade ecológica, histórica, cultural, social, econômica e política que sintetiza a essência da caminhada agroecológica, conforme avaliou Irene Cardoso, presidente da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA), promotora do CBA. 

 

belem_feira.jpg
Foto: Jean Brito

Serão duas grandes conferências, 12 mesas-redondas, 10 rodas de conversas, nove seminários e 22 oficinas, além de debates das apresentações orais ou escritas dos 165 relatos de experiências e outros 1200 pôsteres de trabalhos acadêmicos, divididos em 42 diferentes espaços no interior do Centro de Conversões (Clique aqui para saber mais). 


A Feira de Saberes e Sabores é um importante espaço com 150 expositores que trazem uma mostra da diversidade da produção agroecológica da Amazônia dentre elas as frutas regionais, verduras, mel e derivados, produtos semi-industrializados, biojóias e muito artesanato da região. 


Uma vasta programação cultural diária, sempre no intervalo do almoço e ao final do dia, será outra grande atração gratuita para quem quiser visitar a feira e o congresso no Hangar.


O Congresso Brasileiro de Agroecologia é realizado desde 2003 com participação ativa de instituições de ensino, pesquisa e extensão e sociedade civil organizada envolvida com as demandas da Agricultura Familiar, como um espaço de diálogo entre os conhecimentos científicos e práticos.