pontal.jpg
Da Página do MST


Mais de 100 pessoas, entre assentados e de diversas instituições públicas, participaram da primeira reunião sobre a proposta de uma Universidade Popular Federal na região do Pontal do Paranapanema, interior do estado de São Paulo.


O evento aconteceu no último sábado (27) na sede do Assentamento São Bento, em Mirante do Paranapanema.


Há tempos que os trabalhadores rurais batalham por um centro de formação que atenda os assentamentos da região. Somado a isso, os Sem Terra alegam que há uma carência de uma universidade voltada aos interesses dos trabalhadores do campo e da cidade, e que atenda as demandas do desenvolvimento da região numa perspectiva agroecológica, humanitária, cultural e artística.


Segundo os relatos, a maioria dos jovens que estão no ensino superior do Pontal do Paranapanema são obrigados a se deslocarem diariamente para o município de Presidente Prudente, gastando em média de duas a três horas por dia de translado.


Sob esta realidade que os Sem Terra têm realizado debates com parceiros e representantes do poder público para que seja proposta uma Universidade Popular na região.


De acordo com os assentados, essa foi apenas a primeira plenária, mas já permitiu criar as bases fundamentais de uma proposta pretendida pelos trabalhadores rurais.