20150610_200948.jpg

Por Catiana de Medeiros
Da Página do MST


Na última quarta-feira (10), Sem Terrinha do assentamento Filhos de Sepé, no município de Viamão (RS), homenagearam Gerardo Hernández – um dos cinco heróis cubanos –, que passou 16 anos (1998-2014) preso nos Estados Unidos (EUA), acusado por espionagem e terrorismo.


Bruno Zang e André Moraes entregaram ao patriota uma cesta de produtos da Reforma Agrária, seguida pela eclamação de uma poesia  pelo militante do Setor de Juventude do MST, Anderson Girotto. A homenagem fez parte de um ato receptivo a Hernández, que veio a Porto Alegre agradecer o apoio que ele e os outros quatro heróis – Antônio Guerrero, Fernando González, Ramón Labañino e René González – receberam dos gaúchos no período em que estiveram presos em Miami.


O presidente da ACJM/RS, Ricardo Haesbaert, agradeceu a todas as pessoas que participaram das atividades realizadas em solidariedade aos cubanos e afirmou que a militância foi fundamental para a conquista da libertação deles. “Não foi apenas um processo de luta pela libertação de cinco companheiros, foi também a luta por uma sociedade mais justa, mais fraterna, mais solidária, e mais socialista. É esse o nosso objetivo final e, enquanto nós não conseguirmos, a nossa luta não vai parar”, garantiu.


A embaixadora de Cuba no Brasil, Marielena Ruiz Capote, esteve presente no ato e comentou sobre a mudança de cenário com a reaproximação diplomática de Cuba e EUA, e declarou que o povo cubano terá que enfrentar um processo ainda mais complexo: lutar pelo fim do bloqueio econômico e comercial. 


“O cenário mudou, mas a luta tem que continuar porque nós, revolucionários, não podemos nos dar o luxo de descansar. E para encararmos mais essa luta, nós continuaremos contando com o apoio dos brasileiros e, especialmente, da Associação Cultural José Martí, que muito fez pela libertação dos nossos cinco prisioneiros antiterroristas”, explicou Marielena.
 

20150610_195009.jpg

Depois de receber diversas homenagens, o cubano Gerardo Hernández agradeceu o apoio recebido durante os 16 anos que esteve na prisão, frisando que a mobilização e solidariedade do povo brasileiro foi fundamental para o conhecimento mundial da causa, a libertação e resistência dos cinco.


“O apoio de vocês foi muito importante para resistirmos à prisão. Lá vimos gente enlouquecer, tirar a própria vida por falta de esperança. Hoje, nos perguntam como conseguimos resistir, e nós dizemos que resistimos porque tínhamos companheiros e companheiras aqui fora lutando conosco, e que não podíamos fraquejar. Por isso, agradecemos todos os dias a pessoas como vocês, que nos honraram com seu apoio e nos fizeram livres”, concluiu.


A atividade foi promovida pela Associação Cultural José Martí (ACJM/RS), no Sindicato dos Bancários, e além da presença da embaixadora de Cuba no Brasil, Marielena Ruiz Capote, houve a participação da coordenadora do Comitê Gaúcho de Libertação dos Cinco Heróis Cubanos, Vânia Barbosa.


Além de participar da atividade no Sindicato dos Bancários, Hernández esteve, entre outros locais, na Assembléia Legislativa (AL/RS), onde também agradeceu pelos atos de apoio e solidariedade destinados a ele e aos seus quatro companheiros no período de prisão. Ainda na AL, o herói cubano recebeu homenagens de partidos de esquerda.