Na manhã desta sexta (30/1), cerca de 300 jovens do campo e da cidade fizeram uma caminhada em Belém (PA). O objetivo é pressionar as autoridades locais e estaduais para a criação de políticas públicas que combatam a péssima qualidade da educação, moradia, saneamento; por acesso democrático e gratuito à arte, cultura e esporte, entre outras demandas da juventude da capital e dos demais municípios do estado.


O ato está na programação do  Encontro Popular da Juventude do Campo e da Cidade (EPJCC). Segundo os organizadores, trata-se de "um espaço para a unificação de diversas inciativas que se encontram individualizadas, separadas e sem comunicação. A esta unificação damos o nome de Rede ou Frente de Lutas, fortalecendo cada luta por moradia, educação, cultura, ´terra, saúde fortalece a luta pelos direitos do povo".


Delegações de jovens de Mosqueiro, Irituia, Santa Luzia, Santa Izabel, Castanhal, Parauapebas, Curionópolis, Marabá, vindos de assentamentos do MST, participam do encontro que acontece na Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA).  Além da juventude dos municípios do interior, diversos coletivos, movimentos e entidades trouxeram suas delegações para o EPJCC. Cerca de 300 pessoas estão credenciadas na atividade.


Debates sobre a realidade do jovem na Amazônia, Reforma Agrária, Capitalismo, Revolução, Cultura, ativismo político, auto-organização e mobilização dos jovens diante das sucessivas retiradas de direitos e da intensificação da crise econômica e política brasileira também estão entre as atividades do Encontro. Diversas oficinas gratuitas estão abertas aos participantes.


No sábado (31/1) dia de encerramento do EPJCC, será realizada uma programação em homenagem aos 180 anos da Canabanagem, que culminará com um Ato Cultural, na Praça Olavo Bilac, no bairro da Terra Firme.