FOTO 5.jpg

Por Marcos Antônio
Da Página do MST


O Assentamento 1º de Março, no município de Pitimbu, na Paraíba, foi a sede oficial das comemorações dos 30 anos do MST e os 25 anos de luta do Movimento no estado.


Entre os dias 18 a 20 de dezembro mais de 500 militantes se dedicaram a uma programação celebrativa.


Análise de conjuntura agrária e política, Reforma Agrária Popular, desafios e estratégia do MST e agroecologia frente ao modelo do agronegócio compuseram a pauta do 25° Encontro Estadual do MST na Paraíba.


No discurso de abertura, Rosivam Batista, da direção do MST, anunciou algumas das conquistas do Movimento ao longo dessas duas décadas e meia, como os mais de 60 assentamentos do MST no estado e uma base que passa de 8 mil famílias assentadas e acampadas.   

FOTO 1.jpg


“Movimento é aquilo que anda. E a nossa organização aqui está dando uma prova que o Movimento caminhou durante estes 25 anos”, avaliou Neuri Rossetto, da coordenação nacional do MST.


Em paralelo ao encontro, os Sem Terrinhas realizaram atividades lúdicas dentro da Ciranda Infantil. Cinco oficinas foram desenvolvidas pelo Curso de Pedagogia em Educação do Campo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).


“Estamos colhendo novos conhecimentos sobre a realidade das crianças do Movimento. E ao mesmo tempo fazendo uma relação teórico/prático com a universidade”, contou Gabriel Taciano, licenciando em pedagogia.                

Fruto da luta


No dia 1º de Março de 1993, mais de 100 famílias ocuparam a Fazenda Marina do Abaí, que depois foram para a localidade Os Macaquinhos, onde é o atual Assentamento 1º de Março.


Quem comemora esta caminhada é o assentado Elizeu Antonio dos Santos, de 47 anos e um dos pioneiros. “Estou muito feliz e emocionado por esta festa ser no meu assentamento. Fomos premiados com a comemoração dos 25 anos do MST na Paraíba”, disse sorridente.  


 


Além das comemorações, os Sem Terra também homenagearam os que já partiram, como o companheiro Carlão, falecido no último dia 17 de dezembro.


“Carlão participou da primeira ocupação, mas, a vida nos prega algumas peças. Neste momento cabem a nós duas atitudes: a primeira, nossa solidariedade a família, e a segunda continuar com a luta que o companheiro vinha fazendo”, frisou Jaime Amorim, da coordenação nacional do MST.        


O 25° Encontro Estadual do MST contou com a presença dos assentados e acampados  dos cinco Polos Patativa do Assaré, Juazeiro, Quebraquilos, Caetés e João Pedro Teixeira. Além de representantes do governo do estado, UFPB, INCRA, CPT, CARITAS, Sindicato dos Jornalistas da Paraíba, NEAP e o MLB (Movimento de Luta nos Bairros).