acampamento juventude_0.jpg

Da Página do MST

Fotos: Mídia Ninja

Entre os dias 20 a 23 de novembro, cerca de 2 mil jovens de todo o continente americano estarão em Palmeira das Missões (RS), um território de grandes lutas indígenas e camponesas, participando do 14° Acampamento latino-americano da Juventude.
 

Organizado pela Coordenação Latinoamericana das Organizações do Campo (Cloc) e Via Campesina, o acampamento será um espaço importante para construção de intercâmbios e para aprofundar a formação sóciopolítica da juventude em uma perspectiva de construção de análises, debates e lutas conjuntas com a juventude urbana. .
 

Para Raul Amorim, da coordenação do coletivo de juventude do MST, "o acampamento será um espaço de protagonismo da juventude camponesa na luta contra a ofensiva do capital sobre os recursos naturais na América Latina, que expulsam a população camponesa e os povos de suas terras e territórios. Além de colocar o desafio da construção de agendas de lutas comuns para a construção de um projeto popular para o continente",afirma.
 

O acampamento faz parte do processo de articulação da juventude do campo e da cidade latinoamericana que há treze anos vinha sendo realizado na Argentina. Esta é a primeira vez que o evento será sediado em outro país.
 

É um acampamento de jovens latinoamericanos da Argentina, Bolívia, Brasil, Nicarágua, Guatemala, Venezuela, Cuba, Paraguai, além de delegações dos Estados Unidos, Ásia e África do Sul.
 

Segundo Marcelo Leal, do coletivo nacional de juventude do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), o acampamento já faz parte da agenda de formação e de lutas da América Latina, e neste ano pretende fortalecer a unidade entre os movimentos sociais do continente e a organização da juventude.
 

“O acampamento foi fundamental para fortalecer a unidade de nossa luta, ele envolve a juventude ativa de nossas organizações e mostra cada vez mais que é a partir da unidade de nossa classe que podemos avançar. Realizar o acampamento aqui no Brasil é importante, principalmente porque a região de Palmeira é um local histórico de luta e resistência", ressalta.
 

A metodologia do evento envolverá momentos de plenária, rodas de conversa e oficinas, que constituem um importante espaço de diálogo, socialização e integração da juventude que se organiza e luta pela transformação da sociedade.


A cubana Aleida Guevara estará presente durante o Acampamento. Segunda ela, a juventude é o motor das mudanças sociais, "é quem vai impulsionar, animar e construir com criatividade e capacidade de mudança uma sociedade justa". Também estarão presentes Igor Fuser, Erminía Maricato, João Pedro Stedille e  Eliane de Moura Martins.
 

“Para nós juventude será um momento de muita mística e animação, é um espaço de onde reafirmamos nossas convicções na luta  do campo e da cidade, é onde somaremos forças para massificar nosso projeto popular na América”, relata Marcelo.