Dos Amigos do MST nos EUA

Os comitês europeus dos amigos do MST realizaram um encontro de 24 a 26 de outubro, na cidade de Mondoñedo, na Espanha. Representantes da Alemanha, Portugal, Noruega, Suécia, Bélgica e Galicia, Países Bascos e Cataluña participaram, assim como os amigos do Movimento nos Estados Unidos e Canadá. Dois representantes do Brasil estavam presentes.


O encontro discutiu a situação do Brasil nas vésperas do segundo turno das eleições presidenciais. No geral, a entrada do capital financeiro na agricultura continua. O modelo financiado por este capital, aliado aos grandes latifundiários, exclui os pequenos produtores; 86% de todos os créditos agrícolas vão para o agronegócio, representado no Congresso pela bancada ruralista.
 

Os governos Lula e Dilma, apesar de terem introduzido muitos programas para auxiliar a classe trabalhadora e os pobres, além de aumentos no salário mínimo e programas educacionais, financia fortemente o agronegócio, modelo neoliberal que produz para exportação.


Além disso, o agronegócio usa grandes quantias de agrotóxicos (estima-se que 400 mil brasileiros tenham problemas de saúde por conta desses venenos), causa a destruição da natureza e desemprego no campo.
 

De acordo com esta análise, os representantes do MST afirmaram que o período atual é de aprofundamento da luta pela terra no Brasil, e o Movimento procura aliados, tanto nos movimentos sociais do campo como nos da cidade, além da solidariedade internacional.
 

O encontro também discutiu formas de auxiliar a luta do MST, como a oposição às empresas europeias que plantam eucalipto no Brasil, o aumento de trocas com os assentamentos do MST, a valorização das mulheres do campo, a crítica aos agrotóxicos e transgênicos, e estreitar os laços com a Via Campesina. O evento também marcou o lançamento da Associação de Amigos da Escola Nacional Florestan Fernandes na Europa.