Por Geani Paula
Da Página do MST


Cerca de 900 crianças participam do 11° Encontro estadual dos Sem Terrinha no Paraná. Com o lema “Sem Terrinha: pelo Direito de Viver e estudar no campo”, o encontro irá até sexta-feira (17/10), em Curitiba. Hoje, na parte da manhã, uma mística de abertura iniciou a atividade na reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR). “Gosto muito de morar no acampamento, lá a gente se sente livre, e é bem diferente da cidade”, contou a Sem Terrinha, Maria Gabriela.  


Na mesa de abertura, Isabel Green, representando o MST, disse que a preparação do encontro já começa lá na base, onde as crianças discutem e debatem a participação deles nas atividades do encontro.“O nosso encontro faz parte de um processo que as crianças possam compartilhar e vivenciar coisas novas, e podendo festejar o dia das crianças”, disse Isabel.


Na parte da tarde, as crianças participaram de diversas oficinas de arte e educação, ministradas por educadores populares de Curitiba na UFPR. “Aqui a gente pode aprender e ensinar para as crianças que não vieram”, disse Aline Hartmann, Sem Terrinha assentada na região oeste do estado.


O Encontro tem o objetivo dar visibilidade à realidade vivenciada pelas crianças acampadas e assentadas trouxe esse ano, além de muita diversão e passeio, momentos de estudo com a revista Sem Terrinha. Para a educanda Aline, o encontro é um momento de diversão e estudo entre as escolas. “A gente pode conhecer experiências de outras escolas e aprender bastante”, contou ela, folhando a revista.
 

Programação

Nessa quinta-feira (16/10), aos Sem Terrinhas farão o estudo e debate do Estatuto da Criança e do Adolescente e da revista Sem Terrinha para a construção da carta do encontro. “Este é um momento de estudo e reivindicações para a construção da carta dos Sem Terrinha”, diz Alex Verdério da coordenação do setor de educação no estado.


Durante a tarde, as crianças realizam visitas aos espaços culturais de Curitiba.