Do site Plebiscito Constituinte


Na tarde dessa terça-feira (14/10), mais de 700 militantes se reuniram na praça dos três poderes para a entrega oficial do resultado do Plebiscito Popular ao Legislativo e Judiciário. O ato fez parte da 5ª Plenária Nacional do Plebiscito Constituinte que reúne na capital, até essa quinta-feira, 800 militantes de todo o país.


A militância começou a concentração às 14h em frente à Câmara dos Deputados, mas
só conseguiram autorização para entrar no prédio às 15h30, foram liberados, inicialmente, apenas 170 pessoas para a entrega. O restante do grupo se dividiu, parte continuou a mobilização do lado de fora, e uma comissão foi formada para a entrega do resultado ao Supremo Tribunal Federal. 
 


Dentro da Câmara, os militantes se dividiram em grupos para recolher assinaturas dos parlamentares para o Decreto Legislativo que encaminhará para votação o Plebiscito Oficial para a Constituinte da Reforma Política. Durante a tarde, foram recolhidas 144 assinaturas. Para que seja viabilizado, o decreto necessita de 171 assinaturas, dentre os 513 deputados. 
 


Adima Monteiro, da Secretaria Operativa Nacional do Plebiscito, fez parte da comissão de 10 pessoas que entregou o resultado do Plebiscito ao presidente da Câmara, Henrique Alves. “Ele nos falou que considerava o movimento legitimo e democrático. Para ele a ação é maior que uma simples reforma política, mas que, assim como a Constituinte de 88, ela é possível. O presidente também se comprometeu em organizar, passado o segundo turno e antes do término de seu mandato, uma reunião com os líderes de bancada dos perdidos. Ele também nos garantiu que anunciará em plenário o recebimento de nossa pauta, a pauta dos movimentos sociais”, contou.
 


Participaram da entrega, os deputados responsáveis pelo Decreto Legislativo: Luiza Erundina, Renato Simões, Vicente Cândido, Amauri Teixeira, Saguas Moraes, Ivan Valente, Chico Alencar, Fernando Ferro, Janete Pietá, Elvino Bom Gass, Padre João, Paulo Teixeira, Paulo Rubens e Afonso Florence.
 


Camila Dantas, da Consulta Popular, fez parte da segunda comissão que entregou o resultado ao Judiciário. Lá, foram recebidos por Manoel Carlos de Almeida Neto, Secretário Geral da Presidência do Supremo Tribunal Federal (STF): “ele se comprometeu a entregar ainda no dia ao Presidente ministro Ricardo Lewandowski.”. Camila relatou que o secretário se mostrou favorável a reforma política “ele garantiu que o presidente se posicionará”. 
 


Enquanto isso, do lado de fora, cerca de 500 militantes aguardavam e se manifestavam. Com paródias musicais que chamavam a Constituinte, o grupo não desanimou. Sob sol forte e calor de 35o continuaram firmes, não saíram da frente da Câmara até que a entrada fosse liberada. 

 


Por volta das 19h, o grupo foi autorizado a se juntar aos demais. Marcos Freitas, da Consulta Popular, foi um dos militantes que ficaram do lado de fora. Para ele, o fato de terem tido sua entrada barrada reforça a necessidades da Constituinte.

 


“Hoje vimos que, com exceção dos parlamentares que nos ajudaram, com esse congresso não dá mesmo. Reforma Política só com a força do povo. Hoje a tarde, quando estávamos na Câmara, não estávamos sozinhos. Estávamos respaldados por 8 milhões”, ressaltou fazendo referência aos quase 8 milhões de votos que foram coletados no Plebiscito Popular.
 


A 5ª Plenária termina nessa quarta-feira (15), quando os movimentos discutirão os próximos passos da Constituinte.