Da Página do MST



 

“Quem contar traz à memória,
sabendo que a dor existe,
quando a morte ainda insiste,
em calar quem faz a História.

Pois quem morre não tem glória,
nem tampouco desespera,
é um valente na guerra,
tomba, em nome da vida.

Da intenção ninguém duvida,
quando matam um Sem Terra.”

 

Tombou mais um Sem Terra, dessa vez em solo pernambucano, na noite da última sexta-feira (19). Aldo Soares da Silva, conhecido como Bode, foi assassinado com cerca de 20 tiros no Acampamento Maria Paraíba, em São Lourenço da Mata, zona da mata de Pernambuco.


Bode era militante do MST a cerca de 15 anos, e atualmente fazia parte da direção regional da Brigada de São Lourenço da Mata. Bode era casado e tinha três filhos.


Bode participou dos principais momentos de luta do MST em Pernambuco. De marchas à ocupações de terra ele estava sempre presente com coragem e disposição, contribuindo decisivamente nas conquistas de muitas das hoje 15.000 famílias assentadas em Pernambuco.


“Há 15 anos não houve luta pela Reforma Agrária nesse estado em que Bode não estivesse. E ele deixa três coisas como heranças: uma organização (MST), seu lote no Assentamento Chico Mendes III onde sua família vai poder produzir alimentos saudáveis e sua militância que inspirava a todos nós. Sua luta e sua vida sempre estiveram a serviço do povo”, ressalta Jaime Amorim, da direção nacional do MST.


Companheiro Bode, presente, presente, presente!