Da Página do MST
 

Na tarde desta quarta-feira (4), o MST junto a Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) recebeu parlamentares franceses representantes do Grupo Interparlamentar de Amizade França - Brasil. 


O grupo francês está no Brasil acessando informações em relação à questão agrária e energética, saúde pública e políticas de igualdade de gênero.


Segundo Laurence Cohen, presidente do Grupo Interparlamentar, eles fizeram questão de conversar com os dois movimentos brasileiros por entender que são organizações de grande representatividade e travam lutas e resistência importantes no Brasil.


Durante a reunião, João Paulo Rodrigues, da coordenação nacional do MST, falou da atual necessidade de ampliar o debate com a sociedade sobre a necessidade da Reforma Agrária no Brasil, como uma medida para democratizar o acesso a terra e, ao mesmo tempo, rediscutir o modelo de agricultura presente no campo brasileiro, hegemonizado pelo agronegócio.


Para ele, num período eleitoral como este, os movimentos sociais do campo devem debater com a sociedade e com os candidatos qual é o melhor projeto para a agricultura brasileira, e denunciar a produção do agronegócio, que serve mais como um depósito de venenos ao produzir suas commodities para exportação – sem que haja gente, animais e vegetação no campo.


Dentro disso, João Paulo também apresentou a principal luta dos movimentos sociais brasileiros deste ano: a constituinte exclusiva e soberana do sistema político. Além da urgência em democratizar a terra, ele também lembrou aos franceses que é preciso construir um plano de produção de alimentos sadios e garantir o acesso a educação e a cultura no campo.


Ao final eles entregaram ao MST uma medalha de reconhecimento do Grupo Interparlamentar de Amizade França - Brasil e do Senado Francês.