Por Mariana Castro
Da Página do MST


Os cerca de 300 jovens que participam do 2° Encontro Estadual da Juventude do MST do Maranhão, realizaram na manhã desta segunda-feira (25/08) uma marcha nas ruas de São Luís, rumo à Secretaria Estadual de Educação (Seduc).


A principal reivindicação do Movimento é a construção de escolas de ensino médio no campo.

 

Jovens exigem 26 escolas em 14 municípios

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 37% da população maranhense vive no campo, em total abandono de políticas públicas.


A pauta entregue à Seduc e debatida durante mais de duas horas de reunião, declara a urgência na construção de 26 escolas de ensino médio distribuídas em 14 municípios, para que as comunidades vizinhas também sejam atendidas. 


“Nós não temos nenhuma escola, nem mesmo um barraco para ter aulas. Mesmo quando saímos do campo, não somos atendidos pelo município”, disse a jovem Dandara, de 15 anos e moradora do Assentamento Vila de Fátima, no município de Coelho Neto (MA).


Em 2012, o Movimento já havia sentado com a Seduc e apresentado uma extensa pauta que mostrava a realidade dos acampamentos e assentamentos. Do compromisso firmado naquele ano, apenas uma escola está em fase de construção, e ainda assim em desacordo com o projeto, pois não apresenta sequer biblioteca e refeitório. 


Na presença de dez representantes do MST, o Subsecretário de Educação, Osman de Castro, afirmou que “o estado realmente está devendo. Se apenas uma escola está sendo construída, eu preciso ser sincero e dizer que estamos em falta com vocês”, afirmou.


Uma reunião ficou agendada para o dia 25 de setembro deste ano entre o MST e um representante do Ministério da Educação, com o objetivo de garantir o cumprimento das promessas firmadas pelo estado do Maranhão.