Da Campanha Permanente contra os Agrotóxicos

Na próxima segunda-feira (04/08), em Recife, será lançado no Cinema São Luiz o filme “O veneno está na mesa 2”, do diretor Silvio Tendler. A sessão será às 19 horas, com entrada franca.

Após a exibição haverá um debate sobre os impactos dos agrotóxicos no meio ambiente e na saúde. O lançamento é um realização da Campanha Permanente contra os Agrotóxicos de Pernambuco e da Mostra Ambiental do Recife (MARE).

No primeiro filme, O Veneno Está na Mesa 1, Tendler fez uma pesquisa intensiva por todo o país para demonstrar os danos que o atual modelo de agricultura causa na saúde não só de consumidores, mas dos agricultores envolvidos no processo de produção de alimentos, que ficam constantemente expostos aos insumos químicos e agrotóxicos usados nos plantios.  

Apesar de não ter entrado no circuito comercial de exibição brasileiro, o filme já foi assistido por mais de um milhão de pessoas no Brasil. 

O novo filme também enfatiza os efeitos nocivos do uso de agrotóxicos na produção de alimentos, mas a principal abordagem é sobre as alternativas já existentes para plantio, colheita e consumo de produtos agrícolas sem lançar mão para o uso de agrotóxicos. Seu foco é a agricultura familiar de base agroecológica. 

Um cineasta comprometido com as causas populares

Silvio Tendler viajou por todo o Brasil para conhecer e registrar as práticas agrícolas e estilos de vidas de homens e mulheres que pautam seu trabalho no cuidado com o alimento que produz para consumir e gerar renda e preservar a biodiversidade do planeta. 

O diretor quis com esse novo filme defender a agricultura familiar e tornar do conhecimento dos espectadores que há outros modelos possíveis para uma agricultura sustentável.

Sílvio Tendler tem no seu currículo os filmes Jango, Josué de Castro - Cidadão do Mundo, Encontro com Milton Santos, Glauber o filme, e Utopia e Barbárie. Silvio já produziu filmes aliados às mais diversas causas, sempre buscando apresentar e desenvolver um discurso favorável às lutas populares.

“Eu comecei a entender o peso da alimentação na vida das pessoas quando soube que tenho diabetes. A partir daí, me dei  conta de como a comida pode levar doenças às pessoas. O filme ‘O Veneno está na Mesa1’ foi um alerta, mas o de agora traz uma alternativa. Ele te leva a escolher em que mundo você quer viver. É agora ou nunca mais”, afirma o cineasta.

Templo do cinema pernambucano

Inaugurado no dia 6 de setembro de 1952 e situado às margens do Rio Capibaribe e na cabeceira da mais moderna ponte da cidade à época, a Ponte Duarte Coelho, o São Luiz tornou-se um dos mais emblemáticos cinemas do Recife, prezando por essa arte em sua concepção clássica, com exibição em cine-teatro e capacidade para 992 pessoas. Hoje o Cinema São Luiz é o de mais rica concepção artística e arquitetônica do Recife.

Em 2008 o prédio foi tombado como monumento histórico pelo Governo do Estado que, por meio da Fundarpe, trouxe de volta ao público o tradicional Cinema São Luiz, revitalizado e sem os vícios da mídia cinematográfica, preservando e difundindo a arte do cinema e contribuindo para o resgate da história da cidade e manutenção de um verdadeiro templo de sua cultura.
 

Com informações da Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco.