Da Página do MST

Os beneficiários da Reforma Agrária e remanescentes de quilombos têm até esta sexta-feira (23) para realizar a inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e concorrer a uma vaga na primeira turma de Direito voltada para este público no Paraná.


Trata-se de uma parceria inédita entre o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a Universidade Federal do Paraná (UFPR), por meio do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera). 


Poderão concorrer a população jovem e adulta das famílias beneficiárias dos projetos de assentamento criados ou reconhecidos pelo Incra e do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNFC), professores e educadores que exerçam atividades educacionais voltadas às famílias beneficiárias; populações remanescentes de quilombos e demais famílias cadastradas pelo Incra.


Com investimento de R$ 1,6 milhão, o curso tornará possível a graduação de 60 alunos provenientes de assentamentos ou de comunidades quilombolas. O objetivo de implantar uma turma especial é, além da ampliação de vagas na Universidade, dar oportunidade a esse público de ampliação de conhecimentos técnicos e o consequente desenvolvimento sustentado e integral das comunidades assentadas e quilombolas.


Nos dois primeiros anos do curso, os alunos terão aulas em turma fechada e no mesmo espaço dos demais, no prédio histórico da UFPR. A partir do terceiro ano, os alunos das turmas regulares e da especial poderão conviver numa mesma sala de aula, caso se matriculem nas disciplinas optativas. As duzentas vagas ofertadas de forma regular no curso de Direito pela UFPR, turnos da manhã e noite, permanecem inalteradas.


O Incra já formalizou parcerias com o Instituto Federal do Paraná (IFPR) para a realização de curso técnico em Agroecologia e de Tecnologia em Agroecologia; com a Universidade do Oeste do Paraná (Unioeste) para curso superior de Pedagogia do Campo; com a Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Unioeste para a criação de cursos de Pedagogia para Educadores do Campo, e com a própria UFPR para a realização de curso de especialização em educação do campo.


O Pronera tem como objetivo garantir o acesso à educação formal, ampliando o nível de escolaridade dos trabalhadores rurais, possibilitando aos assentados escolarização e formação técnico-profissional de nível médio e superior em diversas áreas do conhecimento.