Da Página do MST


Neste domingo (18), 300 famílias do MST ocuparam mais uma área improdutiva no município de Santa Cecília, planalto norte catarinense. Na área de 500 hectares, os Sem Terra montaram o acampamento “Unidos na Luta”.


Um dia após a ocupação, novas famílias já começaram a se somar na luta pela terra. João Maria, da coordenação do acampamento, acredita que a tendência é que o acampamento se massifique ainda mais.


Segundo o Sem Terra, “muitas famílias que não conseguiram participar da ocupação devem vir para se somar na luta, já que a região é dominada pelo monucultivo de pinus e não existem praticamente áreas de agricultara familiar”.


Há oito anos, a área que era composta por Mata Atlântica foi devastada pelos compradores, após atearem fogo na floresta para plantarem pinus.


Na época, centenas de animais silvestres, incluindo tamanduás-bandeira, preás, veados foram encontrados queimados no local. O crime ambiental foi denunciado e divulgado nacionalmente nos meios de comunicação. 

Desde então, a fazenda pertence ao IBAMA, órgão federal responsável pela área. Uma multa milionária ainda espera ser paga pelos atuais proprietários que estão impedidos de entrar no local.


“Reivindicamos essa área para a Reforma Agrária. Nosso objetivo aqui é reflorestar a fazenda e produzir alimentos saudáveis à população”, disse João Maria.