Por Ramiro Olivier
Da Página do MST

A Jornada Nacional de Lutas pela Reforma Agrária se estendeu pelo estado de Pernambuco durante essa semana. Mais ocupações de terras, prédios públicos e marchas foram realizados no estado. 


Na manhã desta quinta-feira (15), Sem Terra, trabalhadores ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o Sindicato dos Petroleiros, marcharam nas avenidas de Boa Viajem, em Recife, em defesa da refinaria de petróleo do estado de Pernambuco.


O objetivo dos trabalhadores era denunciar as privatizações do petróleo da reserva do Pré-Sal, ao gritarem por “O Pré-Sal é nosso”. A marcha se encerrou às 14h. 


Na quarta-feira (14), uma área de três mil hectares foi ocupada por cerca de 300 famílias Sem Terra, no município de Ibimirim, região Sertão de Itaparica do estado. 


A fazenda é conhecida na região como “A fazenda da Maconha”. Segundo a direção regional do MST, a fazenda estava improdutiva. “Essa terra não produz a muito tempo, e fizemos essa ocupação com o intuito de produzir alimentos saudáveis fazendo com que a terra cumpra sua função social”, afirmou Penha, da direção do MST.


No dia anterior, na terça-feira (13), cerca de mil Sem Terra ocuparam a Secretaria Agricultura e Reforma Agrária (SARA) reivindicando a desapropriação de um latifúndio, no município de Moreno, localizado nas proximidades urbanas, região metropolitana do estado.