Da Página do MST


Nesta quarta, às 18h, a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados promove um ato em homenagem ao bispo Dom Tomás Balduíno, fundador da Comissão Pastoral da Terra e do Conselho Indigenista Missionário. 

Uma celebração ecumênica será realizada no plenário 9, que leva o nome de Adão Pretto, militante do MST que também foi deputado federal.

“Podemos dizer que o Brasil e em especial os trabalhadores rurais, os povos indígenas e os quilombolas, ficamos um tanto quanto órfãos. Pois Dom Tomás era um líder atuante na defesa dos direitos dos pobres da terra”, disse o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA).

Parceiro de primeira hora do MST, Dom Tomás foi um incentivador da luta camponesa. “Foi um dos mais fortes pilares na construção de uma pastoral social que aproximou a Igreja Católica de todas as etnias, raças e gêneros, vítimas da irracionalidade do capitalismo e de uma sociedade elitista e preconceituosa”, afirmou a direção do MST em nota.

Dom Tomás Balduíno era reconhecido como o bispo da Reforma agrária, dos indígenas, dos povos do campo e das florestas, dos pobres do Brasil e de toda a América Latina.

Aos 91 anos, faleceu em decorrência de uma trombo embolia pulmonar na noite do dia 02 de maio. Seu corpo está sepultado na Catedral da Cidade em Goiás.