Da Página do MST



Cerca de 450 famílias do MST reocuparam na manhã desta quinta-feira (1) a Fazenda Martinópolis, no município de Serrana, interior do estado de São Paulo. 


A ação faz parte da Jornada Nacional de Lutas pela Reforma Agrária, que este ano concentra a maior parte de suas ações entre os dias 28 a 10 de maio.


É a 11° vez que os Sem Terra ocupam a fazenda. O último despejo da área aconteceu no começo do mês de abril. Na ocasião, o arcebispo da Arquidiocese de Ribeirão Preto, Dom Moacir Silva, visitou as famílias e declarou apoio à luta.



“Vocês estão seguindo um caminho legítimo, por isso eu vim aqui hoje, porque vocês têm o direito de ter um pedacinho de chão para produzir e para viver”, disse Dom Moacir. 


Neste mês de maio, o acampamento Alexandra Kollontai completa seis anos. Desde 2012, o governador do estado, Geraldo Alckmin (PSDB), vem assumindo um compromisso junto às famílias de adjudicar a fazenda e implementar um projeto de assentamento rural.


A Usina Martinópolis, proprietária das terras, tem uma dívida de cerca de R$ 300 milhões para a Fazenda Pública de São Paulo, em Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços (ICMS) (além de outras irregularidades trabalhistas e ambientais).