Do Coletivo de Comunicação do MST-SE
Da Página do MST

 

As 40 famílias Sem Terra do acampamento Eldorado de Carajás, no município de Nossa Senhora da Glória, Sertão de Sergipe, celebraram os 11 anos de luta e resistência com um dia de confraternização e debate, nesta quarta-feira (9).


No dia 9 de Abril de 2003, 450 famílias Sem Terra montaram um acampamento na saída da cidade de Glória. Nove meses depois, as famílias sofreram um despejo violento por parte da Polícia Militar.


"Na época, o governador João Alves Filho (DEM) tratava os movimentos sociais com a maior truculência", relembra Zé Ivaldo Freitas, membro da direção do MST em Glória e um dos fundadores do acampamento Eldorado de Carajás.


Por conta da repressão, os Sem Terra tiveram que mudar várias vezes a localização do acampamento. Onze anos depois, uma parte das famílias do Eldorado conquistou um pedaço de terra em outros assentamentos do MST em Glória, enquanto outras desistiram por causa das dificuldades da situação.


Porém, apesar do contexto, a bandeira vermelha ainda está erguida em cima dos barracos de lona: 40 famílias seguem firmes no acampamento, atualmente na beira de uma fazenda improdutiva, propriedade de um grande latifundiário do estado de Sergipe. 


"Nós aqui somos heróis", afirmou José Borges Sobrinho, membro da direção estadual do MST em Sergipe. "A situação está difícil, mas temos que seguir organizados. Os dias do agronegócio e dos latifundiários estão contados. Daqui a pouco, voltaremos a conquistar muitas terras em Sergipe e no Brasil."


Os acampados e militantes do MST compartilharam um almoço coletivo. A comemoração terminou com uma noite cultural, ao som do Forró Pé de Serra.