Por Rafael Soriano
Da Página do MST 

Na manhã desta quinta-feira (3), mais de 500 trabalhadores organizados no MST bloquearam a BR 423, no município de Água Branca (330 km de Maceió) para cobrarem o assentamento de famílias em áreas irrigáveis. 

Mais de 1500 camponeses criaram, em novembro de 2013, o Acampamento Nelson Mandela, que reivindicam essas áreas.

Os acampados estão instalados à beira do Canal do Sertão, obra que leva água a regiões remotas de Alagoas, mas a destinação dessas áreas a camponeses pobres ainda não está garantida. 

Os Sem Terra estão desde as 7h mobilizados, e seguem com o bloqueio até obterem uma resposta sobre os estudos de áreas adequadas para as famílias, prometido pelo governo do estado.

“Estamos cobrando uma posição do governo do estado, que já esteve no local e prometeu que vai ter terra pra essa gente”, explica José Roberto Silva, da direção nacional do MST.

O MST cobra urgência para que o governo providencie uma área provisória “onde as famílias possam aguardar até a conclusão dos estudos, garantindo para eles o envio de cestas básicas e lona para acampar”, disse o dirigente.

Desde a Marcha Estadual por Reforma Agrária e Soberania Popular (2009), entre os municípios de Delmiro Gouveia e Maceió, o Movimento tem questionado a obra do Canal do Sertão e sua capacidade de sanar os reais problemas da população do Semiárido. 

“Milhões investidos dos cofres públicos poderiam ir parar em projetos privados dos ricos da região, não fosse a mobilização dos trabalhadores em defesa da terra e da água”, conclui José Roberto.