Da Página do MST

No dia 02 de abril de 2013, o militante do MST na Bahia Fábio Santos foi assassinado. Após um ano do crime, os mandantes e executores continuam impunes. 

Fábio foi executado com 15 tiros na frente de familiares enquanto se deslocava para uma comunidade rural no interior do município de Iguaí, cujo histórico é de violência e impunidade.

O MST realizou diversas ações em 2013 exigindo justiça do Governo Estadual e Federal.
Em abril, cerca de cinco mil trabalhadores saíram em marcha do município de Camaçari à Salvador, pautando uma investigação mais apurada sobre o crime.

No dia 10 de setembro, três mil camponeses se mobilizaram estavam na porta da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) para cobrar novamente esclarecimento do assassinato do Militante, e foram recebidos com três tiros pelo subsecretário.

Mesmo assim, passou-se um ano e as investigações em torno do caso estão travadas. Nenhuma resposta é dada pelo município ou pelo estado a respeito do ocorrido.


Histórico de violência

Uma das principais áreas de conflito é a fazenda Três Lagedos, na qual o movimento realizou ocupações. Em 2010, montou-se o acampamento Mãe Terra, e muitos militantes que participavam deste processo começaram a sofrer ameaças dos latifundiários.

O MST denunciou as ameaças à Ouvidoria Agrária, mas nada foi feito pelo órgão público. O assassinato de Fábio é resultado desta violência e da negligência do estado.

Legado


Fábio Santos era professor, militante e dirigente partidário formado em pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Como militante teve uma vida inteira envolvido com as causas sociais do povo pobre e oprimido, principalmente de Iguaí.

Ele descobriu o gosto “de ser povo” ainda jovem, quando contribuía nas comunidades eclesiais de base na zona rural de Iguaí, ajudando a fundar muitas das comunidades rurais existentes hoje.

Era um estudioso da bíblia sagrada, mas não abria mão também de seus ideais marxistas e socialistas, sonhando sempre com um mundo melhor e mais justo para todos.

Foi candidato a vereador no último pleito municipal, obtendo um expressivo apoio dos trabalhadores do municipio.