Do Brasil de Fato

A ONG inglesa Survival elegeu nesta sexta-feira (20) o deputado ruralista Luis Carlos Heinze (PP- RS) como o racista do ano. A nomeação acontece todos os anos na véspera do dia Internacional da Luta Contra o Racismo.

Em uma audiência pública com produtores rurais na cidade gaúcha de Vicente Dutra,em novembro do ano passado, Heinze declarou que o governo está alinhado com “quilombolas, índios, gays, lésbicas, tudo o que não presta”. Na época, a Articulação de Povos Indígenas do Brasil (APIB) escreveu uma carta ao Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, dizendo que os ataques se tratavam de “uma virulenta campanha de discriminação e racismo aos povos originários”.

Heinze é presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária e faz parte do lobby ruralista que quer aprovar a PEC 215, que dá poder ao Congresso no processo de demarcação de terras indígenas e é considerado pelos índios como grande retrocesso.

Em anos anteriores, o prêmio foi concedido aos jornais “Correo”, do Peru, que chamou indígenas de ‘selvagens’ e ‘primitivos’ e ao paraguaio La Nación, que comparou índios paraguaios ao câncer, e os chamou de ‘sujos’.