Da Página do MST


Na manhã desta quinta feira (13), cerca de 350 famílias de sete acampamentos saíram do centro da cidade de Agudos em direção a Justiça Federal na cidade de Bauru, no estado de São Paulo.

A principal reivindicação dos Sem Terra é o assentamento Rosa Luxemburgo no município de Agudos.

Desde 2008 as famílias aguardam a efetivação de um acordo judicial feito pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) com o proprietário da Fazenda Agrocentro, mas até o momento não há nenhuma resposta efetiva na Justiça Federal em Bauru.

O acampamento Rosa Luxemburgo tem é composto por famílias vindas de diferentes regionais do estado, sendo que muitos estão acampadas desde o ano 2000.

Em 2010, as famílias adentraram na área e se distribuíram em lotes de produção.

A área também abriga a Escola Popular Rosa Luxemburgo, que desde 2008 é o principal Centro de Formação do estado.

Nesta região, está concentrada a maior parcela de terras devolutas da União no estado de São Paulo. São mais de 40 mil hectares de terras já reconhecidas como públicas. Mas até o momento nada foi feito para arrecadação destas áreas.

Leia mais:
Centenas de mulheres protestam no RS por creche e pelo fim da violência
Longa-metragem gravado em acampamento tem estreia nacional