Por José Coutinho Júnior
Da Página do MST


Rosa Cañadel é membro do comitê de apoio ao MST na Catalunha, que existe há mais de 20 anos.

“Acompanhamos os companheiros do movimento que vão lá conhecer nossas experiências e lutas, divulgamos a luta pela terra e em defesa dos direitos humanos do movimento. O MST é uma inspiração para nós por sua luta, sua capacidade de organização e por seu objetivo de transformação social, que é o mesmo objetivo que muitas pessoas e movimentos na Espanha e Catalunha tem”.


Rosa esteve no Brasil para o VI Congresso do MST, e nessa entrevista para a Página do MST, analisou a luta pela terra na Espanha e Catalunha e a situação do campesinato com a crise econômica. Confira:


Quais movimentos importantes lutam no campo na Espanha e Catalunha?


Há movimentos contra os transgênicos,  em especial um que se chama “manjamos lo que sembramos” (comemos o que semeamos, em português), há organizações ligadas à Via Campesina, no sul da Espanha existem movimentos que fazem ocupações de terras, e temos um contato com organizações de jovens urbanos que ocupam prédios vazios nas cidades para transformá-los em locais com alguma função social.
 

Como a crise na Espanha afetou o campesinato?


As pessoas que trabalham no campo estão sendo fortemente afetadas. A entrada da Espanha na União Europeia obrigou o país a não ter mais um papel agrícola.


Diversos fundos europeus pagavam os camponeses espanhois para que não semeassem e cultivassem a terra, para matar as vacas e não produzir leite, tudo para que os produtos de países como Bélgica e França pudessem ser exportados.


A organização econômica da União Européia faz com que os países mais fortes que a Espanha decidam muitas das políticas que ela deve adotar ou não, e uma destas decisões é não trabalhar a terra, o que causa uma crise para os trabalhadores do campo.


Isso é duplamente pior para os camponeses, pois a crise está acabando com os serviços sociais, como saúde e educação públicos, o que os deixa mais desamparados.

Aqui no Brasil o uso de transgênicos e agrotóxicos é muito grande. A Europa no geral tem regras mais fortes contra o uso desses produtos. Como é a regulação dos transgênicos na Espanha?


A regulação na Europa aos transgênicos é mais restrita do que no Brasil, mas na Espanha as regras são menores, e grande parte da sociedade não está a par do tema.

O milho que produzimos é todo transgênico, e na Catalunha muitos cultivos são transgênicos, mas como a produção acontece em pequenas extensões de terras, e não em grandes latifúndios como aqui, é difícil determinar se são transgênicos ou não, então a luta que travamos nesse sentido é muito difícil.