Por José Luís Costa
Da Página do MST

Ontem o povo brasileiro teve dois exemplos, um bom e um ruim, por parte da grande imprensa de como anda a conjuntura política do país. O bom é que o MST, nesta quarta-feira (12/02), mostrou que está em luta por uma Reforma Agrária Popular que beneficie à todos.

Nesta quarta-feira, o povo Sem Terra marchou aproximadamente 9 km, contando ida e volta. Eram famílias inteiras que caminharam até a esplanada dos ministérios. Pais e suas crianças, além de idosos e deficientes. 

Ao contrário de como a mídia se refere a quem resolve protestar neste país, a marcha do 6º Congresso do MST não tinha vândalos. Havia trabalhadores e trabalhadoras, em especial aqueles que plantam para alimentar a todos.

A democratização dos meios de comunicação deve ser uma pauta prioritária para os movimentos sociais, pois não se pode ter um país realmente democrático onde um gupo de famílias da elite detém a produção e transmissão da informação. Especialmente quando as categorias desses meios de comunicação como TVs e rádios, são concessões públicas. 

Porém, a democracia que está em vigor no país não interessa ao povo brasileiro, pois estas concessões públicas de rádios e TVs servem apenas para garantir que as ideias dos grupos que estão no poder, mantendo seu domínio e seus privilégios em relação a maioria da popularção. Ou seja, o trabalhadores.

Porém, a democracia que está em vigor no país não interessa ao povo brasileiro, pois estas concessões públicas de rádios e TVs servem apenas para garantir que as ideias dos grupos que estão no poder, mantendo seu domínio e seus privilégios em relação a maioria da população. Ou seja, os trabalhadores.