Do FNDC

Em saudação a milhares de trabalhadores e trabalhadoras Sem Terra que participam do VI Congresso Nacional do MST, em Brasília, a coordenadora-geral do Fórum Nacional Pela Democratização da Comunicação (FNDC), Rosane Bertotti, conclamou o movimento social a se juntar a luta pelo projeto de Lei da Mídia Democrática.

“Da mesma forma que enfrentamos o latifúndio da terra, precisamos enfrentar o latifúndio da comunicação no Brasil", argumentou Rosane. "Assim como no caso do MST, onde a política pública não vem de quem tem responsabilidade – que é o governo e o Congresso -  a democratização da comunicação vai vir das mãos do povo brasileiro, que acredita na força da  organização”, afirmou, na manhã desta quinta-feira (13).

Rosane Bertotti criticou a cobertura da mídia sobre a marcha do MST que levou cerca de 20 mil pessoas às ruas na tarde de ontem. “Infelizmente, a imprensa não olha para a luta dos movimentos sociais. Eu queria que a imprensa estivesse aqui hoje pra ver o brilho das crianças e pra mostrar que a aqui tem cultura, tem conhecimento, que aqui tem educação”, disse. Durante a marcha, os trabalhadores e trabalhadores rurais seguravam cartazes contra os abusos da mídia, como o que dizia: "STF, julgue a Globo".

Pesquisa divulgada em 2011 pelo Intervozes mostrou que o MST é, na maioria dos casos, retratado como violento e suas bandeiras recebem pouco destaque pelos meios de comunicação. A pesquisa, intitulada Vozes Silenciadas, analisou a cobertura da mídia sobre o MST durante a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito de 2010.

Até amanhã (14), quando termina o IV Congresso do MST, estarão disponíveis formulários de assinaturas para apoiar o projeto de Lei da Mídia Democrática.  O projeto pretende regulamentar o que diz a Constituição em relação às rádios e televisões brasileiras. São necessárias 1 milhão e trezentas mil assinaturas para colocar o Projeto de Iniciativa Popular em debate no Congresso Nacional.