Por Marcio Zonta e Wesley Lima*

Produção, cultura, agricultura familiar, desenvolvimento econômico e social foram as palavras que nortearam a abertura da 1º Mostra Nacional de Cultura e Produção Camponesa, que teve inicio na noite de segunda-feira (10/2) no estacionamento do Ginásio Nilson Nelson em Brasília.

Com o objetivo de apresentar a diversidade cultural e a força da produção camponesa, em especial dos assentamentos de Reforma Agrária, o espaço comercializa produtos da agricultura das cooperativas, associações e coletivos no Brasil.

A Mostra acontece entre os dias 10 e 13 de fevereiro simultaneamente ao VI Congresso Nacional do MST em Brasília e está aberta à visitação do público das 9h às 23h.

Produção Camponesa

A atividade reúne trabalhadores rurais das de todos estados do Brasil em mais de 2 mil metros de tendas. É possível encontrar produtos industrializados da Agricultura Familiar através de cooperativas espalhadas em todo território brasileiro, assim como frutas distintas.

Do Paraná vem a a experiência da produção, industrialização e comercialização de uma linha de produtos que abarca o leite, arroz, iogurte, manteiga e queijo.

“Estamos na feira mostrando que do campo pode sair uma diversidade de produtos para mesa dos brasileiros”, diz Marli, uma das associadas da coopetativa.

Já os campones paraenses apresentam a produção de bombons recheados com frutas tipicas da região feito de cupuaçu, açãi, bacuri, castanha, pimenta, coco e amendoim, além de artesanato.

“Conseguimos pautar ao longo desse trabalho a valorização de doces feitos a partrir de nossa culinária de frutas, hoje na região de Mosqueiro em Belém, vendemos mais bombons do que empresas como a Nestlé”, orgulha-se Tel.

Além dos produtos expostos, os visitantes poderão acompanhar de perto como é produzido a farinha, através de um maquinário que encontra-se no espaço da Mostra. Há também um alambique utilizado na destilação de diversas bebidas alcoólicas e um Sóquio, equipamento usado na produção da Erva Mate.

A Mostra trambém apresenta atividades culturais todas as noites divididas em regiões trazendo um pouco da cultura de cada localidade como a viola caipira, samba, forró, vanerão, chamamé, carimbó, além de apresentações de teatro, poesia e exibição de filmes.

Agricultura Familiar

Jaime Amorim, da coordenação nacional do MST, afirma que a Mostra é a demonstração de que é possível fazer uma agricultura sustentável e saudável para toda a população contando com investimentos públicos que contemplem os pequenos camponeses para fortalecer esse modelo produtivo.

Para além destas questões de cunho político, “nós queremos nos reproduzir como camponês. A agricultura familiar é a solução de desenvolvimento de nosso país”, conclui Amorim.

Gustavo Pontes, representante do governo federal no evento, é necessário “fazer de Brasília a casa de todos os cidadãos para fortalecer a Reforma Agrária e a agricultura familiar no Brasil”.

A Mostra tem o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Caixa Econômica Federal, Petrobras, o Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA).

* As duas primeiras fotos são de Leonardo Melgarejo; a última é de Elitiel Guedes.