Da Página do MST

 

A Via Campesina no Rio Grande do Sul, em nota, manifesta seu apoio à greve dos trabalhadores Rodoviários do Transporte Público de Porto Alegre. 

"O direito de ir e vir deve ser garantido a toda a população; vivemos no Brasil um processo de urbanização e concentração nas metrópoles e a mobilidade urbana é dependente do serviço de transporte público, no entanto este serviço se converteu em mercadoria, explorada por grupos econômicos e acobertada pelos executivos municipais, as Prefeituras. Para se locomover é preciso pagar caro".

Abaixo, leia a íntegra da nota:

Os movimentos sociais camponeses do Rio Grande do Sul, articulados pela Via Campesina do Brasil (MPA, MAB, MST, MMC, FEAB, CPT), vem por meio desta manifestar nosso apoio e solidariedade à greve dos Trabalhadores Rodoviários de Porto Alegre.

As vitórias que a classe trabalhadora logrou diante dos patrões foram construídas com processos de Luta e quando os trabalhadores se organizam para lutar, pela garantia e ampliação de direitos, deixam explícitas as contradições entre os que produzem a riqueza e os que se apropriam destas riquezas explorando o trabalho alheio. 

O direito de ir e vir deve ser garantido a toda a população; vivemos no Brasil um processo de urbanização e concentração nas metrópoles e a mobilidade urbana é dependente do serviço de transporte público, no entanto este serviço se converteu em mercadoria, explorada por grupos econômicos e acobertada pelos executivos municipais, as Prefeituras. Para se locomover é preciso pagar caro.

Denunciamos as manobras realizadas pela Prefeitura municipal de Porto Alegre, pelos empresários que exploram as concessões públicas do transporte e pela RBS TV, que difamas e distorcem as informações sobre a greve, apontando os trabalhadores do transporte como responsáveis pelos transtornos na cidade, colocando a população contra os trabalhadores Rodoviários.

Os verdadeiros responsáveis pelos transtornos são os empresários e a prefeitura que não atendem as reivindicações dos trabalhadores e não garantem o serviço de transporte público. 

A greve é uma ferramenta de luta das trabalhadoras e dos trabalhadores assegurado pela constituição do nosso país, denunciamos também o poder judiciário que se coloca ao lado dos patrões e não garante os direitos dos trabalhadores.

Os camponeses do Rio Grande do Sul Prestam Todo apoio e solidariedade a greve das trabalhadoras e dos trabalhadores do transporte público de Porto Alegre.

Transporte público não é mercadoria, por um transporte publico gratuito e de qualidade.


Seguimos firmes e fortes na Luta,

Até a vitória!

Saudações Socialistas!

Via Campesina Rio Grande do Sul.