Em outubro acontece, nos 24 estados em que o MST está organizado, a Jornada Nacional dos Sem Terrinha. Os assentamentos, acampamentos, escolas e centros de formação tornam-se palco de encontros que pautam, através da luta das crianças por escolas e pelo direito de ser reconhecido no campo como sujeito de sua própria história, a luta pela soberania popular.

As crianças Sem Terrinha são meninas e meninos que têm na sua formação a identidade da classe trabalhadora, são filhos e filhas da luta que inspiram o próprio Movimento. As Jornadas dos Sem Terrinha, realizadas desde 1996, integram as jornadas nacionais de lutas do MST e têm se constituído em um importante espaço de visibilidade à realidade vivenciada pelas crianças acampadas e assentadas. São também momentos que as colocam, em primeira instância, como as condutoras das ações realizadas, conferindo à luta um “jeito de infância”.

Neste ano, a Jornada dará seguimento às negociações feitas em Brasília durante o Acampamento Nacional pela Reforma Agrária, realizado no último mês de agosto. Na ocasião, os trabalhadores Sem Terra conquistaram do governo federal a promessa de recomposição orçamentária para o assentamento de famílias em todo o Brasil, a assinatura dos índices de produtividade rural e a construção de 280 escolas em assentamentos. Esta última demanda refere-se às necessidades emergenciais de escolas em cada estado e, durante a Jornada dos Sem Terrinha, vamos também cobrar essa promessa.

Ao longo do mês, serão realizadas atividades com o objetivo de garantir às crianças um espaço de cultura e lazer, de estudo e de reivindicação dos direitos; um espaço formativo, para que elas se tornem protagonistas e possam intervir junto com a comunidade na sua realidade.

Viva as crianças Sem Terrinha! Por Escola, Terra e Dignidade!

Setor de educação do MST