Passeava o povo suas bandeiras rubras e entre elas na pedra que tocaram estive, na jornada fragorosa e nas altas canções da luta. Vi como passo a passo conquistavam. Somente a resistência dele era um caminho, e isolados eram como pedaços partidos de uma estrela, sem bocas e sem brilho. Juntos na unidade feita em silêncio, eram o fogo, o canto indestrutível, o lento passo do homem na terra feito profundidades e batalhas. Eram a dignidade que combatia o que foi pisoteado, e despertava como um sistema, a ordem das vidas que tocavam as portas e se sentavam na sala central com suas bandeiras.